Desastre é a interrupção séria do funcionamento de uma comunidade ou sociedade que causa perdas humanas e importantes perdas materiais, econômicas ou ambientais, que excedem a capacidade da comunidade ou sociedade afetada para fazer frente à situação utilizando seus próprios recursos.  O desastre resulta da combinação de ameaças, condições de vulnerabilidade e influencia na capacidade ou medidas para reduzir as conseqüências negativas e potenciais do risco. (Fonte: Eird)

Gestão do Risco de Desastre é o conjunto de decisões administrativas, de organização e de conhecimentos operacionais desenvolvidos por sociedades e comunidades para implementar políticas, estratégias e fortalecer suas capacidades, a fim de reduzir os impactos de ameaças naturais e desastres ambientais e tecnológicos conseqüentes. Isso envolve todo tipo de atividade, incluindo medidas estruturais e não estruturais para evitar ou limitar os efeitos adversos dos desastres. (Fonte: Eird)

Redução dos Riscos de Desastres - Marco conceitual de elementos que têm a função de minimizar vulnerabilidades e riscos em uma sociedade, para evitar (prevenção) ou limitar (mitigação e preparação) o impacto adverso de ameaças, dentro do amplo conceito de desenvolvimento sustentável. De acordo com o Eird (Estratégia Internacional para Redução de Desastres), o marco conceitual referente à redução de risco de desastres se compõe dos seguintes campos de ações:

1) avaliação de riscos, incluindo análise de vulnerabilidade, assim como análises e monitoramento de ameaças/perigos;

2) conscientização para modificar o comportamento;

3) desenvolvimento do conhecimento, incluindo informação, educação, capacitação e investigação;

4) compromisso político e estruturas institucionais, incluindo informação, política, legislação e ação comunitária;

 5) aplicação de medidas incluindo gestão ambiental, práticas para o desenvolvimento social e econômico, medidas físicas e tecnológicas, ordenamento territorial e urbano, proteção de serviços básicos e formação de redes e alianças;

6) sistemas de detecção e alerta precoce, incluindo prognóstico, predição, difusão de alertas, medidas de preparação e capacidades de enfrentamento. (Fonte: Eird)

 

Plano de contingência, também chamado de planejamento de riscos ou plano de recuperação de desastres, tem o objetivo de descrever as medidas a serem tomadas por uma empresa ou órgão público, incluindo a ativação de processos manuais, para fazer com que seus processos vitais voltem a funcionar plenamente, ou num estado minimamente aceitável, o mais rápido possível, evitando assim uma paralisação prolongada que possa gerar maiores prejuízos.

O Plano de Contingência é um documento onde estão definidas as responsabilidades estabelecidas em uma organização, para atender a uma emergência e também contêm informações detalhadas sobre as características da área ou sistemas envolvidos. É um documento desenvolvido com o intuito de treinar, organizar, orientar, facilitar, agilizar e uniformizar as ações necessárias às respostas de controle e combate às ocorrências anormais.

 

(link para download do plano de contingência)

Plano Municipal de Gestão do Risco

 

Considerando a concepção do Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil - SINPDEC a atuação dos órgãos de defesa civil ocorre por meio de sucessão de esforços, desta forma, primeiramente a Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil - Compdec, realiza as atividades de defesa civil para minimização dos desastres e realiza o atendimento das ocorrências pontuais.

Dentre as atribuições da Compdec as ações de prevenção aos desastres são primordiais, sendo por este motivo fundamental que o município faça o levantamento das áreas de risco.

Após realizar o mapeamento das áreas vulneráveis, se faz necessário para a gestão do risco, a elaboração do Plano Municipal de Gestão do Risco, com vistas a responder de forma rápida e estruturada os eventos adversos que possam comprometer a segurança das comunidades / pessoas.

Com intuito de padronizar a gestão do risco a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil – CEDEC elaborou uma proposta de Plano de Contingência, que se encontra disponível em nosso site para download, (endereço eletrônico: www.defesacivil.mg.gov.br) e servirá de referencial para os municípios.

Para facilitar sua confecção, o Plano Municipal de Gestão do Risco, foi subdividido em 3 (três) partes:

 

                1ª Parte: Conhecimentos Gerais;

                2ª Parte: Construção de Cenários;

                3ª Parte: Medidas a serem realizadas para a prevenção, mitigação e preparação.

 

(link para o download do Plano Municipal de Gestão do Risco)